Slideshow
O Espírito Santo e as Testemunhas de Jeová 
 

Quem lê a versão TNM das Testemunhas de Jeová, vê sempre o Espírito Santo escrito em letras minúsculas, pois como sabemos, elas creem no Espírito de Deus como algo, não como alguém. Em outras palavras, elas creem que o Espírito Santo seja uma força ativa de Deus, não uma pessoa, e muito menos uma pessoa divina.

Vamos aqui neste artigo analisar os diversos argumentos usados por elas para “provarem” aquilo que creem acerca dessa pessoa divina, a 3ª pessoa da Santíssima Trindade. Veremos, a partir de agora, o engodo no qual estão inseridos esses humildes servos do reino russelita.

Na Santa Escritura, por exemplo, ao Espírito Santo são atribuídas qualidades e ações que só se harmonizam se o Espírito Santo for uma pessoa. A Bíblia diz que o Espírito Santo fala, ensina, entristece, guia, dá testemunho, ouve, santifica, etc., etc., etc. Basta ver por exemplo textos como At 8,29; Jo 16,13; E 4,30; 1 Pd 1,2; Hb 10, 29.

Mas quando citamos isso, elas não se conformam e criam certas objeções que aqui vamos analisar:
1) Para escapar do peso do argumento acima mencionado, as Tjs objetam que a atribuição dessas qualidades e ações dadas ao Espírito Santo correspondem a uma figura de linguagem denominada de PERSONIFICAÇÃO. Objetam, então, que tal personificação também é feita com a sabedoria, com o pecado, com a morte, com a água e com o sangue (Lc 7,35; Rm 5, 14. 21; Jo 5, 6-8 e nem por isso, tais coisas são pessoas.

− O que dizer a propósito?

Vejamos:
As figuras de linguagem têm sempre um significado.
- Por “filhos da sabedoria” em Lc 7,35 entende-se “os que têm sabedoria” ou “os seus seguidores”.
- Por “pecado” e “morte” como “reis” entende-se o domínio que os dois têm.
- Pelo testemunho da “água” entende-se o seu grande significado de purificação no batismo e do sangue no sacrifício da cruz.

Mas quando as Sagradas Escrituras dizem que o Espírito Santo OUVE, ENTRISTECE, SANTIFICA, etc. isso tudo é muito pessoal. Isso tudo não é nem pode ser uma mera personificação. Além de tudo isso, a Bíblia também fala de se enganar, tentar, resistir, insultar o Espírito Santo (At 5,3.9; 7,51; Hb 10,29). Compara a ação do Espírito Santo à de uma pessoa (Mt 1,18; 10,20; 12,32; Jo 14,15-17; At 15,28). Atribui pronomes pessoais ao Espírito Santo (Jo 14,26 3 At 10,19-20). Logicamente tais atribuições não podem referir-se a apenas uma força. Forçosamente, tais textos só podem ser entendidos corretamente como provas incontestes de que o Espírito Santo é realmente uma pessoa. E não há escapatória.


2) Quando citamos Mt 28,20 para provar que o Espírito Santo tem “nome” e que tendo nome Ele só pode ser uma pessoa, as Tjs objetam que também falamos “em nome da lei” sem que a lei seja uma pessoa. Citam Mt 10,41, texto em que Jesus fala em “nome de profeta” e “em nome de justo” e concluem que o “nome do Espírito santo” não pode ser prova nenhuma de personalidade dEle.

− Mas nada disso procede, pois o termo NOME em Mt 28,20 é no grego ONOMA e nesse texto, o evangelista liga esse nome ao do Pai, ao do Filho e ao do Espírito Santo.
Note-se ainda que o termo grego ONOMA é singular, o que exige uma óbvia identidade entre os 3 seres mencionados. Ora, a palavra NOME no singular e ligada ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo significa que o nome dos três é da mesma espécie. E como o nome do Pai e o do Filho é pessoal, obviamente o do Espírito Santo também o é ou, então, nenhum dos três são. Mas evidentemente as Tjs não vão aceitar essa última hipótese.
 
Logo, relacionar Mt 28,20 com Mt 10,41 não faz sentido.


3) Quando citamos At 8,29; 10,19.20; Hb 4,7 e 10,15 para provar que se o Espírito Santo fala, Ele é uma pessoa, as Tjs objetam que isso só ocorre mediante pessoas ou anjos (Mt 10,20; At 4,24.25; 28,25) e querem insinuar com isso, que o Espírito Santo não age por si só,

− Mas novamente isso não procede, pois embora muitas vezes o Espírito Santo tenha falado por alguém, em várias outras passagens Ele é tido como SUBSTITUO de alguém, e, mais ainda, são atribuídas a Ele, ações individuais como OUVIR, CONHECER, TER VONTADE, SABER DISCERNIR, etc. (Mt 10,20, Jo 16,13; At 15,28; 30,28; 1 Cor 2,10.11; 12,11). Portanto, ao Espírito Santo são atribuídas ações também independentes, não somente ações dependentes, ações que comprovam ser Ele realmente uma pessoa, pois somente uma pessoa age individualmente.


4) Elas costumam citar At 2,17.18, objetando que se o Espírito Santo é DERRAMADO, Ele não pode ser uma pessoa.

− Mas o Sl 22(21),14 diz que Davi também é derramado, nem por isso ele deixa de ser uma pessoa. Veja também Fl 2,17 e 2 Tm 4,6.

E mais: Enquanto At 2,17.18 fala-se do Espírito Santo ser derramado, em At 10,45, por exemplo, fala-se do DOM DO ESPÍRITO SANTO ser derramado. Ora, o que é derramado realmente é o dom do Espírito, não Ele. E quando em At 2 se fala do derramamento do Espírito, usa-se uma figura de linguagem denominada de METONÍMIA, figura em que se substitui um elemento por outro por causa da íntima relação entre eles. Como o dom do Espírito é algo intriínseco a Ele, portanto dá no mesmo dizer que um ou outro é derramado.
Logo, esse texto não nega a personalidade do Espírito Santo.


5) Comumente, as Tjs também citam Mt 3,11 e At 10,38 e alegam que tais textos falam em pessoas serem “batizadas” e “ungidas” com o Espírito Santo, achando que isso só pode provar que Ele não é uma pessoa.
− Mas se isso provasse realmente que o Espírito Santo não é uma pessoa, então, Gl 3,27 provaria que Jesus também não é uma pessoa, pois aí se diz que pessoas são “batizadas” e “revestidas” com Ele.


6) Alegam que o Espírito Santo não pode ser uma pessoa porque a Bíblia fala em pessoas ficando CHEIAS do Espírito Santo (Lc 1,41; At 4,31; 9,17).
− Mas, na verdade, a palavra CHEIO referente ao Espírito Santo em vez de negar a sua personalidade, afirma a sua divindade e consequentemente a sua personalidade, pois somente Deus é que enche tudo. Veja Jr 23,24 3 Ef 1,23.


7) Objetam que em Ef 4,30 se diz que pessoas são “marcadas” com o Espírito Santo e querem ver nisso mais uma prova de que o Espírito do Senhor não é uma pessoa.
− Em Col 2,11, se diz que pessoas são “circuncidadas” com Jesus, Então, ele também não seria uma pessoa?

Professor Evaldo Gomes